Informativo

Orientações aos pais do NACE

Posicionamento correto para crianças Hemiparéticas/ Hemiplégicas:

  • Tronco alinhado (melhor acesso visual);
  • Ombros, braços e pernas alinhados na posição sentada;
  • Jogar peso do corpo para o lado comprometido (não sobrecarregar um lado do corpo só);
  • Pés apoiados no chão;
  • Realizar brincadeiras que promovam rotação de tronco (ex.: arremessar bola no cesto);
  • Atividade para transferência de peso de membros inferiores (o senta e levanta com a ajuda de um banco);
  • Alongamento de musculatura dos pés; (evita contraturas e deformidades);
  • Trabalhar dessensibilização de membro afetado (Colocar uma bacia feijão, arroz e pedir para a criança pisar).

Pacientes com Hemiparesia Espástica (Uma abordagem Fisioterapêutica);

  • Posicionamento correto na postura sentada (Evita deformidades);
  • cabeça voltada para frente, braços paralelos ao tronco com flexão de cotovelo, mãos em pronação (facilita focalizar objetos);
  • Pernas flexionadas e quadris também (evita escoliose e outras anormalidades da coluna vertebral);
  • A postura sentada normal inicia-se pela pelve, seguindo-se pelos membros inferiores, tronco, cabeça, pescoço e por último os membros superiores;
  • A pelve e estar centralizada e é a responsável pelo equilíbrio de tronco e melhor desempenho funcional de membros superiores;
  • Todas as posturas articulares citadas acima visam alcançar o sentar correto que tem como objetivos: prevenir complicações, manter capacidade vital, reduzir tensão, melhorar conforto, dar estabilidade, só após o posicionamento correto poderemos realizar as atividades lúdicas (brincadeiras com a criança);

Obs.: Todas essas orientações devem levar em consideração os parâmetros individuais de função, conforto e estabilidade de cada indivíduo.

 Exercícios para membros superiores e inferiores:

  • Movimentos de levar brinquedos no cesto (com a criança sentada auxiliar ela se levantar descarregando peso em membros inferiores e alongar musculatura encurtada);
  • Movimentos de alongamento de pé e tornozelo (evita encurtamentos e deformidades);
  • Movimentos de rotação de tronco permite que a criança explore melhor o ambiente).